Está tudo bem com o seu fígado?

A dor abdominal do lado direito e a barriga inchada são sinais de alerta do seu fígado.

Além disso, a cor amarelada na pele e nos olhos e urina escura são outros sintomas.

Algumas das causas comuns de problemas no fígado são o excesso de gordura neste órgão, que ocorre principalmente em pessoas com excesso de peso ou que não praticam atividade física, o excesso de álcool, o uso abusivo de medicamentos e doenças como hepatite, cirrose, ascite, esquistossomose e hipertensão portal.

05 fígado

 

Outros sinais e sintomas que também podem indicar problemas neste órgão são:

  • Tontura;
  • Dor de cabeça;
  • Coceira generalizada;
  • Boca seca ou Gosto amargo na boca;
  • Pode haver diarreia;
  • Enjoo e vômito;
  • Falta de apetite;
  • Cansaço fácil;
  • Aumento de peso;
  • Fezes amareladas, cinzentas, negras ou sem cor;
  • Facilidade em ficar com manchas roxas na pele;
  • Vasinhos na pele;
  • Aumento da mama nos homens, também chamado de ginecomastia;
  • Diminuição das plaquetas do sangue.

Diante da presença destes sintomas, é importante procurar o médico para investigar a causa do problema e iniciar o tratamento adequado.

Para diagnosticar problemas no fígado, deve-se fazer um exame de sangue chamado hepatograma, que avalia as funções deste órgão a partir dos níveis de: AST e ALT; GGT, também chama de Gama GT; Fosfatase alcalina; Bilirrubina direta, indireta e total; Albumina; LHD; INR e TAP ou TP; 5′ nucleotidase (5’NTD); LDH.

Além disso, o médico também pode pedir exames complementares como ultrassonografia e tomografia computadorizada.

Muitas vezes apenas um ajuste na dieta é suficiente para tratar algumas doenças no fígado. Porém, nas situações mais graves pode ser necessário tomar remédios para diminuir a inflamação, o colesterol, a glicemia e outros fatores que afetam o fígado.

Fonte: tuasaude.com

Como está o seu colesterol bom?

O colesterol bom é o HDL, ele deve ser encontrado no sangue com valores iguais ou superiores a 60mg/dl para garantir uma boa saúde. Ele é considerado baixo quando é menor que 40mg/dl para homens e menor que 50mg/dl para mulheres.

Cerca de um terço a um quarto do colesterol é transportado por lipoproteínas de alta densidade HDL (high density lipoprotein). Concentrações elevadas de HDL protegem o indivíduo contra o infarto do miocárdio. Já as concentrações baixas aumentam o risco de doença cardiovascular.

Acredita-se que o HDL remove o excesso de colesterol da placa aterosclerótica, retardando ou inibindo a sua formação, além de transportar o colesterol de volta para o fígado, onde é novamente metabolizado.

02 colesterol bom

Para aumentar os níveis de colesterol bom no organismo recomenda-se o consumo de alimentos como:

  • azeite de oliva; óleos vegetais (canola, girassol, milho, gergelim);
  • amêndoas; abacate; amendoim;
  • ervilhas; queijo tofu; farinha de soja e leite de soja.

Além disso, devemos evitar o açúcar e os alimentos que contém gorduras trans, assim como o consumo de alimentos com gordura vegetal, como coco, abacate, nozes, amêndoas e azeitona;

Aumente também o consumo de alimentos fonte de ômega 3, 6 e 9, como o salmão, atum e sardinha, pelo menos para 3 vezes por semana.

O colesterol HDL pode ficar baixo devido a fatores genéticos que podem envolver a tireoide e devido a hábitos como sedentarismo, má alimentação, acumulo de gordura no abdômen, dieta muito pobre em gordura, triglicerídeos altos, tabagismo e o uso de medicamentos hormonais.

Nas crianças, o nível de HDL fica baixo por história genética de doença cardiovascular na família, ou naquelas que estão muito acima do peso e que consomem muito açúcar, sem pratica nenhuma atividade física.

Saber os seus níveis de colesterol é muito importante, por isso recomenda-se fazer o exame de sangue para o colesterol pelo menos 1 vez por ano ou antes de qualquer procedimento.

 

Participação no SOBRACIL 2016

O Dr. Luiz De Carli está participando essa semana do 13º Congresso Brasileiro de Videocirurgia SOBRACIL, B.E.S.T. SOBRACIL 2016, 2º Congresso Brasileiro e Latino Americano de Cirurgia Robótica e Congresso Internacional de Enfermagem Robótica que são realizados de 11 a 14 de maio no Centro de Convenções Rebouças, São Paulo/ SP.
 
Além disso, ele foi moderador e comentador de cirurgias ao vivo no maior congresso nacional de cirurgia laparoscópica com 1500 participantes de todo o Brasil. Foram comentadas cirurgias laparoscópicas e robóticas.

Complicações da gastrite

Fique mais atento aos sintomas que o seu aparelho digestivo lhe dá. Uma queimação frequente após as refeições, dores abdominais, enjoos e náuseas podem estar avisando que o seu estomago está irritado. Isso acontece porque você pode tenso ou ansioso e a sua digestão não está funcionando como deveria.

O estômago é um tipo de bolsa que recebe que recebe todo alimento e bebida que ingerimos. Estruturalmente, assemelha-se a um saco com dois orifícios fechados por músculos: o esfíncter, localizado em sua junção com o esôfago, e o piloro entre o estômago e o intestino, que se abrem periodicamente para dar passagem aos alimentos e em seguida se fecha.

Internamente, o estômago é forrado por mucosa, uma camada rosada parecida com a que temos em nossa boca. A gastrite, inflamação referente a este órgão, implica em uma inflamação da mucosa que reveste as paredes internas do estômago. Ocorre quando o revestimento do estômago fica inflamado ou inchado e pode durar por pouco tempo, neste caso chamamos de gastrite aguda, ou pode durar de meses a anos, a conhecida gastrite crônica.

Gastrite aguda: geralmente é causada pelo estresse, pois nesta situação o corpo aumenta a produção de adrenalina e, consequentemente, de ácido clorídrico, que em excesso agride a parede do estômago.

Gastrite crônica: pode ser provocada pelo consumo frequente de álcool, pelo uso prolongado de medicamentos antiinflamatórios (tipo ácido acetilsalicílico, por exemplo), ou mesmo pela presença da bactéria Helicobacter pylori, que costuma se instalar em ambientes ácidos como o estômago, principalmente quando existe uma rotina de má alimentação. Esta bactéria é transmitida através da saliva, de alimentos crus, e pode causar até mesmo úlcera.

gastrite

Sintomas:

Os sintomas variam dependendo do tipo de gastrite. No entanto, o indivíduo com gastrite geralmente apresenta indigestão, desconforto e sensação de queimação na região abdominal superior e, em casos mais complicados, sangramento digestivo.

Complicações:

As complicações da gastrite, que podem surgir quando o tratamento não é feito corretamente, como:

  • Úlcera gástrica, é uma ferida no estômago que causa sintomas como intensa dor de estômago, vômito com sangue e fezes preta com odor;
  • Câncer de estômago devido a atuação do ácido do estomacal diretamente sobre o tecido do estômago, levando a alterações em suas células.

Para evitar complicações como estas é recomendado realizar o diagnóstico e o tratamento da gastrite, conforme as orientações do médico gastroenterologista.

 

Alimentos termogênicos

Melhor do que comer algum alimento que não engorde é comer os que ajudam a acelerar a perda de peso. Os alimentos termogênicos são aqueles que necessitam de maior queima de energia para serem digeridos e, por isso, chegam a ser responsáveis por cerca de 10% do gasto total de energia.

A termogênese é um processo regulado pelo sistema nervoso e interferências neste sistema podem ajudar no controle de emagrecimento e obesidade.

Além da pimenta vermelha, também fazem parte desse grupo a mostarda, o gengibre, o vinagre de maçã e o guaraná. Compostos extraídos de plantas, como a cafeína do café, efedrina da ephedra, capsaícina das pimentas e catequinas de chás também são consumidos para o emagrecimento.

Os alimentos termogênicos ajudam a emagrecer, porém não são milagrosos. O consumo dos mesmo deve estar em um plano alimentar equilibrado, de acordo com a rotina individual, e pobre em gorduras saturadas e açúcares simples, além da prática frequente de exercício físico.

Alguns alimentos:

Pimenta vermelha – Esse tipo específico de pimenta é rica em capsaicina, substância que favorece o aumento da quebra de gorduras no tecido adiposo. Ela aumenta em até 20% a atividade metabólica se ingerida na quantidade de três gramas por dia, podendo ser adicionada em saladas e pratos quentes como tempero.

Canela – Além de aumentar o metabolismo basal, a canela possui alto teor de cálcio mineral, substância importante para o emagrecimento.

Gengibre – Essa raiz pode aumentar o gasto calórico em mais de 10%. O gengibre pode ser consumido de diversas formas, cru, em marinadas para temperar carnes, aves e peixes, e ainda fica ótimo em molho de tomate, sopas de legumes e chá, quando misturado com outras ervas.

Alimentos com Ômega 3 – Encontrado em peixes, como salmão e atum, ele aumenta o metabolismo basal, melhora a retenção de líquidos e facilita a comunicação entre as células do organismo.

Chá de hibisco – Aumenta a temperatura corporal durante a digestão e, consequentemente, aumenta o metabolismo. Você pode tomar um litro por dia, sendo que, para um litro de água, deve-se usar uma colher de sopa da flor.

almentos termogênicos

Ressalva:

Quem tem hipertireoidismo não deve ingerir esses alimentos em excesso, já que o metabolismo está muito elevado, o que aumenta o risco de perda de massa muscular.

Crianças e gestantes, pessoas com cardiopatias, hipertensão, enxaqueca, úlcera e alergias também devem moderar o consumos destes, pois eles podem levar a aumento da pressão arterial, hipoglicemia, insônia, nervosismo e taquicardia.